segunda-feira, 26 de abril de 2010

ENTREVISTA COM SATANÁS


Como você era quando foi criado?

Lúcifer: Vim à existência já na forma adulta e, como Adão, não tive infância. Eu era um símbolo de perfeição, cheio de sabedoria e formosura e minhas vestes foram preparadas com pedras preciosas. [Ez 28:12-13]

Onde você morava?

Lúcifer: No Jardim do Éden e caminhava no brilho das pedras preciosas do monte Santo de Deus. [Ez 28:13]

Qual era sua função no Reino de Deus?

Lúcifer: Como querubim da guarda, ungido e estabelecido por Deus, minha função era guardar a Glória de Deus e conduzir os louvores dos anjos. Um terço deles estava sob o meu comando. [Ez 28:14; Ap 12:4]

Alguma coisa faltava a você?

Lúcifer: (reflexivo, diminuiu o tom de voz) Não, nada. [Ez 28:13]

O que aconteceu que o afastou da função de maior honra que um ser vivo poderia ter?

Lúcifer: Isso não aconteceu de repente. Um dia eu me vi nas pedras (como espelho) e percebi que sobrepujava os outros anjos (talvez não a Miguel ou Gabriel) em beleza, força e inteligência. Comecei então a pensar como seria ser adorado como deus e passei a desejar isto no meu coração. Do desejo passei para o planejamento, estudando como firmar o meu trono acima das estrelas de Deus e ser semelhante a Ele. Num determinado dia tentei realizar meu desejo, mas acabei expulso do Santo Monte de Deus. [Is 14:13-14; Ez 28:15-17]

O que detonou finalmente a sua rebelião?

Lúcifer: Quando percebi que Deus estava para criar alguém semelhante a Ele e, por conseqüência, superior a mim, não consegui aceitar o fato. Manifestei então os verdadeiros propósitos do meu coração. [Is 14:12-14]

O que aconteceu com os anjos que estavam sob o seu comando?

Lúcifer: Eles me seguiram e também foram expulsos. Formamos juntos o império das trevas. [Ap 12:3-4]

Como você encara o homem?

Lúcifer: (com raiva) Tenho ódio da raça humana e faço tudo para destruí-la, pois eu a invejo. Eu é que deveria ser semelhante a Deus. [1Pe 8]

Quais são as suas estratégias para destruir o homem?

Lúcifer: Meu objetivo maior é afastá-los de Deus. Eu estimulo a praticar o mal e confundo suas ideias com um mar de filosofias, pensamentos e religiões cheias de mentiras, misturadas com algumas verdades. Envio meus mensageiros travestidos, para confundir aqueles que querem buscar a Deus. Torno a mentira parecida com a verdade, induzindo o homem ao engano e a ficar longe de Deus, achando que está perto. E tem mais. Faço com que a mensagem de Jesus pareça uma tolice anacrônica, tento estimular o orgulho, a soberba, o egoísmo, a inimizade e o ódio dos homens. Trabalho arduamente com o meu séquito para enfraquecer as igrejas, lançando divisões, desânimo, críticas aos líderes, homossexualismo e outras distorções sexuais, mágoas, friezas espirituais, avareza e falta de compromisso (ri às escaras). Tento destruir a vida dos pastores, principalmente com orgulho, vaidade, ingratidão e falta de tempo para Deus. [1Pe 5:8; Tg 4:7; Gl 5:19-21; 1 Co 3:3; 2 Pe 2:1; 2 Tm 3:1-8; Ap 12:9]

E sobre o futuro?

Lúcifer: (com o semblante de ódio) Eu sei que não posso vencer a Deus e me resta pouco tempo para ir ao lago de fogo, minha prisão eterna. Eu e meus anjos trabalharemos com afinco para levarmos o maior número possível de pessoas conosco. [Ez 28:19; Jd 6; Ap 20:10,15]



* Texto encaminhado pelo Rev. João Peixoto de Siqueira Filho que é Presbítero na Diocese do Recife; Coadjutor da Paróquia Anglicana Emanuel, em Olinda-PE. Venerável Arcediago no Arcediagado Norte, em Recife-PE.


Fonte: Diocese do Recife - Igreja Anglicana do Cone Sul da América

Nenhum comentário: