quarta-feira, 11 de julho de 2012

IGREJA EPISCOPAL DOS EUA APROVA UNIÕES DE CASAIS GAY

Bispos Gay: Gene Robson e Mary Glasspool


A Igreja Episcopal dos Estados Unidos, uma das maiores denominações religiosas do país, aprovou em convenção nesta terça-feira (10) que seus padres poderão conduzir cerimônias para abençoar casais do mesmo sexo.

A decisão foi aprovada por uma convenção de bispos da Igreja na segunda, por 111 votos a favor e 41 contra, com apenas três abstenções, segundo a CNN. Após a votação, a medida foi submetida a nova convenção nesta terça em Indianapolis.

Na nova votação, após mais de uma hora de debate, a medida foi aprovada por 78% dos membros representativos da Igreja e 76% dos clero.

Com isso, a Igreja Episcopal se tornou a maior denominação religiosa dos EUA a reconhecer oficialmente relações entre pessoas do mesmo sexo. A Igreja tem quase 2 milhões de fiéis nos Estados Unidos.

A cerimônia de bênção de casais não é considerada um casamento, explica a porta-voz da Igreja Nancy Davidge. “Nós estamos autorizando a bênção, que é diferente do casamento. A bênção é uma resposta teológica para um relacionamento comprometido e monogâmico.”

Um casamento, ela explica, requer o envolvimento de autoridades civis e muitos estados norte-americanos não permitem uniões gays.

Bispos homossexuais
 
Desde 2010, a Igreja Episcopal americana vinha se posicionando favorável a uniões homossexuais. Naquele ano, a igreja nomeu pela segunda vez um homossexual como bispo, neste caso uma mulher, cuja eleição provocou uma reação violenta do chefe da Igreja Anglicana, da qual depende a Igreja Episcopal.

Mary Glasspool, 56 anos, que mantém abertamente uma relação com outra mulher desde 1988, foi nomeada bispo pela diocese episcopal de Los Angeles, durante uma cerimônia que reuniu 3.000 pessoas.

Em 2003, o reverendo Gene Robinson foi nomeado bispo em New Hampshire (nordeste do país). A eleição de Robinson envolveu a Igreja Episcopal e toda a Igreja Anglicana em uma tormenta, provocando um cisma por parte de algumas dioceses e paróquias conservadoras.


FONTE: G1 MUNDO

Nenhum comentário: