domingo, 4 de outubro de 2009

O QUE DEUS UNIU O HOMEM NÃO SEPARE



São Marcos 10: 2-9



O Evangelho de hoje é bem conhecido no nosso meio. Principalmente para explicarmos quando um indivíduo deve se divorciar da sua esposa, e a mulher do seu marido.

No capítulo de hoje fica bem claro que Jesus recusa ver o matrimônio a partir de restrições ou permissõees legalistas. Ele reconduz o matrimônio ao seu sentido fundamental: aliança de amor e, como tal, abençoada por Deus e com vocação de eternidade. Diante desse princípio fundamental marido e mulher são igualmente responsáveis por uma união que deve crescer sempre, e os dois se equiparam quanto aos seus direitos e deveres.

No versículo 2 vemos que os fariseus logo encontram Jesus. Eles estavam se preparando para a matança, como uma alcatéia. Em um esforço para pegar Jesus em uma armadilha, perguntaram a Ele se o divórcio era lícito, ou seja, se era permitido dar carta de divórcio. Então Jesus os levou ao Pentateuco. “O que é que Moisés mandou vocês fazerem?”

Por fim no versículo 3 ao versículo 9 mostra que os fariseus fugiram da pergunta afirmando o que Moisés permitiu. Ele permitiu a um homem se divorcir de sua esposa dando a ela uma carta de divórcio. Mas isso não era o ideal de Deus; fora permitido somente por causa da dureza do coração das pessoas. O plano Divino unia homem e mulher em casamento enquanto vivessem. Isso volta à criação dos sexos por Deus. Um homem deve deixar seus pais e se unir de tal maneira em casamento que ele e sua esposa seja uma só carne. Portanto concluimos que: o que Deus ajuntou não deveria ser separado por decreto humano.

Ó Benigno e Sempiterno Deus, que nos criaste homem e mulher à tua imagem, olha misericordiosamente para estes filhos que vêm a Ti, em busca da tua bênção, e assiste-os com a tua graça, para que, com verdadeira fidelidade e inalterável amor, honrem e guardem as promessas e votos que fazem; por Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e com o Espírito Santo, um só Deus, agora e para sempre. Amém. (Oração retirada da pág 156 das coletas do LOC Anglicano)


Paz e Bem
Sem. Bruno Leandro, of

Nenhum comentário: