sábado, 23 de janeiro de 2010

JESUS, UM MESTRE MARAVILHOSO




24/01/2010 – 3° Domingo depois da Epifania

São Lucas 4: 14-21

Meus Irmãos e minhas irmãs o Santo evangelho de hoje nos relata um fato muito importante no início da vida pública de Jesus. O texto de hoje vai nos mostrar o programa da atividade de Jesus.

Entre os versículos 13-14 há um espaço de quase um ano. Durante esse tempo o Senhor Jesus ministrava na Judéia. O único relato desse ministério está no Evangelho de são João 2 – 5.

Quando Jesus no poder do Espírito Santo, regressou para a Galiléia, a fim de começar o segundo ano do seu ministério público, sua fama correu por toda a circunvizinhaça como nos relata o texto Sagrado. Enquanto ensinava nas sinagogas judaicas, ele foi glorificado por todos.

Em Nazaré, a cidade da sua juventude, Jesus entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume. Havia duas outras coisas que, lemos, ele fazia regularmente: orava (Lc. 22:39) e ensinava (Mc. 10:1). Numa visita a sinagoga, Jesus levantou para ler as escrituras ou seja, Ele levantou-se para ler o Antigo Testamento. O auxiliar lhe deu o pergaminho no qual a profecia de Isaías estava escrita. O Senhor Jesus estendeu o rolo até a parte que agora conhecemos como Isaías 61, e leu o versículo 1 e a primeira metade do verso 2: “O Espírito do senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa Notícia aos pobres; para libertar os oprimidos e para proclamar um ano de graça do Senhor”. Essa passagem tem sido reconhecida sempre como uma descrição do ministério do Messias. Quando Jesus disse: “Hoje se cumpriu essa passagem da escritura, que vocês acabaram de ouvir”, Ele estava dizendo da maneira mais clara possível que era o Messias de Israel.

Observemos as implicações revolucionárias da missão do Messias. Ele veio para tratar dos enormes problemas que têm afligido a humanidade através da história:

Pobreza: Anunciar a Boa Notícia aos pobres (NTEP).

Tristeza: Restaurar os contritos de coração (RC).

Escravidão: Proclamar libertação aos cativos.

Sofrimento: Pôr em liberdadeos oprimidos.

Enfim, Ele veio para proclamar um ano de graça do Senhor, o amanhecer de uma nova era para as multidões no mundo que suspiravam e soluçavam. Ele se apresentou como a resposta para todos os males que nos atormentam. E se pensarmos nesses males em sentido físico ou espiritual, isto também se aplica. Cristo é a resposta.

É significante que Ele termine a leitura com as palavras proclamar um ano de graça do Senhor. Ele não acrescentou as palavras restantes de Isaías: “...e o dia da vingança do nosso Deus”. O propósito da sua primeira vinda foi pregar um ano de graça do Senhor. A atual época da graça é o tempo aceitável e o dia da salvação. Ao voltar à Terra pela segunda vez, será para proclamar o dia da vingança de nosso Deus. Note que o tempo aceitável se refere a um ano, o tempo de vigança como um dia.

Paz e Bem

Sem. Bruno Leandro

Nenhum comentário: