quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

O QUE É QUARESMA?


Quaresma é o nome dado ao período de quarenta dias úteis anteriores ao Domingo de Páscoa, e que desde o séc. VII começa na Quarta Feira, chamada de “Cinzas", pelo costume de marcar as frontes dos fiéis com uma cruz de cinzas, e que existe também na nossa Igreja. Termina no assim chamado “Sábado de Aleluia”, dentro da Semana Santa. O total de dias do tempo é de 46, mas os domingos não entram no cômputo por estar proibido jejuar e penitenciar no dia da celebração semanal da Ressurreição do Senhor.

O número 40 tem simbolismo bíblico como um tempo de provação e preparação prévio a um tempo de salvação-redenção (40 anos dos israelitas no deserto, prévios à entrada na terra prometida; a caminhada de Elias no deserto; o tempo de Jesus no deserto após seu batismo). O caráter penitencial da quadra nasceu na Igreja primitiva como o tempo especial para preparar a reconciliação dos penitentes públicos (que acontecia na manhã da Quinta-Feira Santa) e o de preparação se deve à utilização desse período para a preparação final dos catecúmenos para o Batismo, que se realizava na grande Vigília Pascal.


Os LOCs de 1549 e 1552 preservaram a observância da Quaresma e apesar do desuso no séc. XVIII, a quadra foi revigorada desde meados do séc. XIX, sendo agora amplamente observada em toda a Comunhão Anglicana.


A Quaresma não é o mero resíduo de antigas práticas ascéticas (“antiquarismo”) mas a oportunidade para uma experiência de participação mais plena no mistério pascal de Jesus. O acento não está apenas em nossa penitência, mas em nos abrirmos à ação purificadora e santificadora do Senhor.


A Quaresma é o tempo da grande convocação que Deus faz a todo seu povo para que se deixe purificar e santificar pelo seu Salvador e Senhor. Essa purificação não é só interna e individual, mas também externa e comunitária, e inclui:


a) mudança de vida individual;

b) consciência das conseqüências sociais do pecado individual;

c) arrependimento e mudança também no seio da comunidade.


Para concretizar esses elementos são sugeridas algumas práticas quaresmais:

1) leitura e reflexão mais freqüentes da Palavra de Deus.

2) oração mais freqüente e cuidadosa

3) realização de obras de caridade.

4) uso adequado dos bens, evitando o consumismo e a superfluidade. Inclui-se também aqui a prática do jejum.


A cor usada durante toda a quadra da Quaresma é o roxo, com exceção da Semana Santa que se rege por normas próprias.


Fonte: O Pão da Vida, Comentários ao Lecionário Anglicano, Ano A, 2007, pág. 377, 378 - Revdo. Enrique Illarze, liturgista

Li este artigo no site do Reverendo Josafá Batista

Nenhum comentário: