domingo, 30 de maio de 2010

A VINDA DO ESPÍRITO DA VERDADE


30/05/2010 - Domingo da Trindade (1° Domingo depois de Pentecostes)


São João 16: (5-11)12-15



O versículo 5 parece expressar desapontamento porque os discípulos não estavam mais interessados no que estava à frente do Senhor. Apesar de ter perguntado de maneira geral para onde Ele ia, eles não pareciam muito envolvidos.

Os discípulos estavam mais preocupados com o próprio futuro do que com o de Jesus. Perante Ele estavam a cruz e o túmulo. Perante eles estava a perseguição no seu serviço para Cristo. Eles estavam mais cheios de tristeza com relação aos seus problemas que aos dele.

Mas eles não seriam deixados sem auxílio e conforto. Cristo enviaria o Espírito Santo a fim de ser seu Consolador. Era uma vantagem para os discípulos que o Consolador viesse. Ele os capacitaria, encorajaria, ensinaria e tornaria Cristo mais real para eles. O Consolador não viria até que o Senhor Jesus Cristo de Nazaré voltasse ao céu e fosse glorificado. Naturalmente, o Espírito Santo havia estado no mundo antes disso, mas viria de maneira nova: para convencer o mundo e ministrar aos remidos.

O Espírito Santo convenceria o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Geralmente se entende que o Espírito cria uma persepção interna dessas coisas na vida do pecador individualmente. Ainda que isso seja verdade, não é exatamente o ensino nesse trecho. O Espírito Santo condena o mundo pelo mero fato de que ele está aqui. Ele não deveria estar aqui, mas sim o Senhor Jesus, reinando sobre o mundo. No entanto, o mundo o rejeitou, e Ele voltou para o céu. O Espírito Santo está aqui no lugar de Cristo rejeitado, e isso demonstra a culpa do mundo.

O Espírito convence o mundo do pecado de falhar de crer em Cristo. Ele foi digno de crença. Não havia nada Nele que tornasse impossível aos homens crer. Mas ele se recusaram. E a presença do Espírito Santo no mundo é testemunho do seu crime.

O Salvador declarou ser justo, mas os homens disseram que Ele tinha um demônio. Deus deu a palavra final. Ele disse de fato: “Meu Filho é justo, e o provarei, ressuscitando-o dentre os mortos e levando-o de volta para o céu”. O Espírito Santo testemunha o fato de que Cristo estava certo e o mundo, errado.

A presença do Espírito Santo também convence o mundo do juízo vindouro. O fato de Ele estar aqui significa que o Diabo já foi condenado na cruz e que todos os que recusam o Salvador compartilharão do seu terrível julgamento num dia ainda futuro.

Havia ainda muito que o Senhor tinha de contar aos discípulos, mas eles não eram capazes de entender. Esse é um princípio importante ao ensinar. Deve haver certo progresso na aprendizagem antes que verdades avançadas possam ser recebidas. O Senhor nunca oprimiu seus discípulos com ensino. Ele lhes deu “linha após linha, preceito após preceito”.

A obra que o Senhor começou seria continuada pelo Espírito da verdade. Ele vos guiará a toda verdade. Há um sentido no qual toda a verdade foi confiada aos apóstolos durante sua vida. Eles, por sua vez, anotaram por escrito, o que temos hoje no Novov Testamento. Isso, adicionado ao Velho Testamento, completou a revelação escrita de Deus ao homem. Mas é naturalmente verdade, em todas as épocas, que o Espírito guia o povo de Deus em toda a verdade. Ele o faz através das Escrituras. Ele fará somente as coisas que lhes são dadas pelo Pai e o Filho. Ele vos anunciará as coisas que hão de vir. Isso, naturalmente, é feito no Novo Testamento, e de modo especial, em Apocalipse, onde o futuro é desvelado.

Sua obra principal é glorificar Cristo. Assim podemos pôr à prova todo ensino e toda pregação. Se tiver o efeito de magnificar o Salvador, então é do Espírito Santo. Ele há de receber do que é meu significa que ele receberá as grandes verdades consernentes a Cristo. São essas coisas que Ele revelará aos cristãos. O assunto nunca pode ser esgotado!

Por fim todos os atributos do Pai pertencem ao Filho também. É a respeito dessas perfeições que Cristo falava no versículo 14. O espírito desvelou aos apóstolos as perfeições gloriosas, os ministérios, os ofícios, as graças e a plenitude do Senhor Jesus.


Paz e Bem

Sem. Bruno Leandro

Nenhum comentário: